shutterstock_448347331Alguns anos atrás fui convidado para proferir uma palestra sobre exercício, saúde e bem-estar para um uma instituição de ensino de São Paulo, os participantes eram de todos os departamentos – pedagógico, administrativo, financeiro e manutenção. Durante a minha apresentação, depois de algumas vivências práticas, com exercícios expressivos com música, alguns alongamentos e exercícios de relaxamento, uma professora, segundo ela, já próxima a aposentadoria, me fez a seguinte colocação e pergunta:

Professor, fui ao médico, depois de analisar meus exames ele fez a seguinte recomendação.

– A senhora precisa fazer exercício, natação é o exercício ideal, mais completo, recomenda que procure um local para iniciar a prática o mais breve possível.

– Professor Mauro, completou a professora, não gosto de natação, sou alérgica ao cloro e não me sinto bem na piscina, o que posso fazer? Tem alguma alternativa? O médico foi bem claro, preciso fazer exercício, e agora, que faço?

Esta é uma situação que acontece para muitas e muitas pessoas, encontrar o exercício ideal, o mais completo e, não raro, alguém dizer que determinado exercício ou método de treinamento é o melhor de todos.

Na prescrição de exercícios como em outras situações, como por exemplo, nos tratamentos médico, estético, facial, dentário, fisioterápico, psicológico, existem várias alternativas, técnicas, métodos,  procedimentos que chegam ao mesmo resultado. Alguns medicamentos podem ser administrados para algumas pessoas, no entanto para outras não tem o mesmo efeito ou tem efeitos colaterais, o mesmo acontece nas terapias corporais e na prescrição de exercícios.

Fica então a pergunta: Qual o melhor exercício? Existe o exercício completo?

A minha resposta é simples: é aquele que você mais gosta, sente prazer em realiza-lo e que, também, está de acordo com seus objetivos e necessidades.

Vamos entender a minha resposta!

Nem sempre o que você necessita é o que mais gosta!

Por exemplo, todos nós necessitamos ter um coração forte e resistente, alguns mais outros menos,  porém na hora de escolher os exercícios para tal, uns preferem  caminhar na esteira, outros nadar; ambas as atividades são boas para o coração porém outros preferem dançar ou fazer hidroginástica ou mesmo caminhar no parque com as amigas, sem contar, é claro que muitos preferem fazer nada, mesmo necessitando.

Para alongar e relaxar muitos preferem as técnicas de alongamento, outros massagem, tai-chi, yoga ou técnicas de meditação, todas são excelentes  práticas corporais, principalmente para quem gosta…se sente bem praticando.

Para fortalecer os músculos, evitar a flacidez, a musculação é uma excelente alternativa, os seus benefícios são cientificamente comprovados, porém, se você não gosta, procure outra alternativa para os mesmos benefícios, ou pelo menos similares, o método Pilates, hidroginástica, ginástica localizada em grupo também servem para fortalecer os músculos.

Cada tipo de exercício, independentemente de você gostar ou não, ele tem relação com a melhoria e desenvolvimento de determinadas capacidades biomotoras, nome que a educação física utiliza para identificar os componentes de um programa de aptidão física.

Segundo estudos para você “ficar em forma” é importante que você tenha níveis satisfatórios, um mínimo necessário para os padrões de saúde, das sete capacidades biomotoras: resistência cardiorrespiratória (para o coração saudável), força muscular (para sustentar o peso do seu corpo e evitar a sarcopenia), mobilidade/flexibilidade (para se movimentar sem restrições, com boa amplitude articular), estabilidade/equilíbrio (para manter um bom equilíbrio corporal e evitar quedas), coordenação motora ( para manter o cérebro ágil e ativo), potencia muscular (para realizar movimentos rápidos, evitar a lentidão motora) e o relaxamento/descontração (para diminuir os níveis de tensão muscular).

Para cada uma das sete capacidades biomotoras existem diferentes exercícios que são os mais recomendados para desenvolvê-las, é sobre isto que iremos abordar nos próximos artigos.

Lembre-se.… todo exercício é bom, principalmente se você gosta, sente prazer em realiza-lo e, acima de tudo, alcança o objetivo esperado.

A Escolha do Exercício: existe o exercício ideal?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *